segunda-feira, 26 de junho de 2017

Engenheira florestal distribui mudas de plantas pela cidade de Blumenau...




Todo mundo uma vez na infância já plantou um grãozinho de feijão no algodão. E a engenheira florestal Ana Glória Nunes, ao perceber que a pequena Alicia Nunes, sua filha de apenas três anos de idade, tinha o mesmo interesse com o meio ambiente, decidiu criar uma iniciativa ambiental que pudesse valorizar essa atividade.

O “Plantei um broto na casca do ovo” é um projeto dirigido pela engenheira, que surgiu com o objetivo de distribuir pequenas mudas de alimentos na cidade de Blumenau, onde moram. O nome representa bem a essência da ideia, já que os brotinhos são cultivados em cascas de ovos até começar a germinação.

“Desde pequena eu sempre tive muito amor por plantar, e a Alicia acabou se identificando. Foi aí que tive a ideia de começarmos a colocar as sementes de tudo que comíamos em uma caixa sementeira”, conta Ana em entrevista ao G1, confirmando, também, que a iniciativa já distribuiu mais de 1000 mudas de plantas desde que tudo começou, há apenas alguns meses.

Projeto resgata contato do ser humano com a terra

Para o cultivo dos brotinhos, Ana explica que ela e Alicia recolhem as sementes de todo tipo de alimento que consomem, para depois plantar em uma caixa que usa para fazer a compostagem (em seu próprio apartamento). Tomates, goiabas, abóboras e muito mais.

Sempre orientando a pequena Alicia dos cuidados que deve tomar no plantio das mudas, Ana fala com orgulho do resultado do projeto, que começou como uma simples atividade na varanda de seu apartamento e hoje inspira milhares de pessoas na cidade e em todo o país (através das redes sociais).

Além do aprendizado da filha, a ideia da engenheira florestal é também conscientizar as pessoas sobre fazer o reaproveitamento de alimentos. Com a utilização dos restos dos ovos, os brotinhos passam a se beneficiar do material da casca – que alimenta as sementes e trabalha como adubo para germinação.

Se no começo, o objetivo era criar um pequeno espaço caseiro para a plantação, agora mãe e filha se responsabilizam por um projeto com grandes perspectivas para o futuro.

“Acredito que o objetivo seja resgatar valores, resgatar o contato do ser humano com a terra. Lidar com plantas é lidar consigo mesmo, com a natureza. Hoje em dia já esquecemos  de onde vem o alimento, esquecemos os valores e perdemos a paciência. Plantar é gerar vida e, se você ensina isso desde cedo para alguém, essa pessoa vai carregar pro resto da vida”, finaliza Ana.

Fonte:  g1.globo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário