terça-feira, 20 de junho de 2017

Como será o aumento da energia elétrica para 2017 e anos seguintes?


Em 2016, a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) havia feito uma previsão de que as contas de luz pudessem subir em cerca de 5%. Porém, esta estimativa foi revista, e, atualmente, o aumento da energia elétrica deve ser de, em média, 7,17%.

O aumento deve ser aplicado a partir deste ano nas contas de energia elétrica de residências e também de empresas e seguir até 2024.

Esse aumento, segundo explicações da própria ANEEL, tem origem nas indenizações que precisam ser pagas às empresas de transmissão de energia. O montante, estimado em aproximadamente R$ 65 bilhões, é referente à uma promessa feita pelo governo de que os custos provenientes das obras para modernizar as redes elétricas feitas antes dos anos 2000 seriam cobertos pelo governo. 

Porém, o valor deveria ter sido pago em 2013 e, desde então, vem sendo protelado, o que acarretou nesse montante, do qual R$ 35 milhões são referentes à atualização do valor.

Como será feito o repasse do aumento da energia elétrica?

Com exceção do Rio de Janeiro, os demais estados do Brasil passam a ter o aumento na conta de energia elétrica a partir do dia 1º de julho. Mas, os valores pagos pelo consumidor irão depender da região do País, devido a relação entre o consumo e a proximidade com as usinas.

Isso quer dizer que quem mora próximo aos polos geradores de energia, mas em um local onde há menor consumo, o impacto será menor do que para quem vive em regiões sem usinas próximas e com um alto consumo de energia.

Aumento da conta também é aumento de oportunidade

Com o aumento dos valores da conta de energia elétrica, tende a aumentar também o interesse das empresas por soluções que promovam a eficiência energética e, consequentemente, a redução de custos. 

Outro ponto importante: Os projetos de eficiência energética já elaborados poderão se tornar muito mais atrativos com o aumento da tarifa, pois as economias que o cliente final terá serão maiores.

Aproveite a oportunidade para tirar da gaveta aquele seu projeto de energia,  abordar novos clientes ou mesmo retomar o contato com outros. Se o projeto demonstrar um potencial de retorno superior ao aumento, dificilmente os tomadores de decisão não o aprovarão. Mas vale lembrar que o repasse na conta de energia se dará ao longo dos próximos oito anos.

Eficiência energética como prioridade

Com a atenção que o mercado tem dado a esse tema e também devido às dificuldades que o País teria de atender uma alta demanda por energia, que vem sendo freada devido à crise econômica, é possível que o tema ganhe ainda mais destaque na esfera governamental. 

Com isso, a tendência é que os financiamentos e subvenções econômicas direcionados às iniciativas sustentáveis tenham seu orçamento mantido ou quem sabe até ampliado, incentivando um uso mais consciente da energia também na esfera industrial.

Projetos de energia: De olho no retorno financeiro

Mesmo com o aumento do interesse sobre a eficiência energética, é importante ter em mente que com os aumentos – não somente de energia elétrica, mas também de outros insumos -, as empresas passam por um momento de busca incansável pela redução de custos. Por isso, ao apresentar um projeto de eficiência energética, é fundamental que o retorno financeiro seja comprovado e seu potencial faça parte já da fase inicial do projeto.

Além dos ganhos com as melhorias identificadas pelo projeto, vale reforçar a possibilidade de se conseguir financiamento, inclusive com linhas específicas para projetos que contemplem energias renováveis, como uma forma de viabilizar o projeto sem impacto no fluxo de caixa da empresa.

Fonte: abesco.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário