domingo, 16 de abril de 2017

Capacidade recorde de geração energias renováveis adicionada em 2016 (ONU)...

O mundo registrou um aumento recorde de 138,5 gigawatts de capacidade de geração de energias renováveis em 2016, apesar de uma queda de 23% do investimento no setor, refletindo a redução dos custos das energias limpas, anunciou a ONU na quinta-feira.

As novas energias - principalmente de instalações eólicas e solares e excluindo grande projetos hidroelétricos - cresceram 8% em relação ao ano anterior, com um investimento global de US$ 242 bilhões.

O investimento em energias baseadas em combustíveis fósseis foi aproximadamente metade dessa quantidade em 2016, de acordo com um relatório publicado conjuntamente pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) e a Bloomberg New Energy Finance.

"A tecnologia limpa cada vez mais barata oferece uma oportunidade real para que os investidores obtenham mais por menos", disse Erik Solheim, diretor-executivo do Pnuma.

Os novos números chegam um dia depois das empresas de energia da Europa prometerem que nenhuma nova usina a carvão será construída depois de 2020.

As empresas nacionais de energia de 26 dos 28 países da União Europeia - com exceção da Polônia e da Grécia - aderiram à iniciativa, anunciada em Bruxelas.

"Com as fontes de energia se tornando cada vez mais limpas, as tecnologias elétricas são uma escolha óbvia para a substituição de sistemas baseados em combustíveis fósseis (...) para reduzir os gases de efeito estufa", disse Antonio Mexia, presidente da Eurelectric, associação de 3.500 empresas de geração, distribuição e comercialização de eletricidade.

O relatório da ONU, "Tendências Globais em Investimentos em Energias Renováveis", aponta que a energia limpa adicionada em 2016 representou 55% de toda a nova capacidade do ano passado - a maior porção até hoje.

A proporção de eletricidade proveniente de fontes renováveis no mundo, excluindo grandes hidroelétricas, subiu de 10,3% em 2015 para 11,3%, segundo o relatório.

A rápida queda do custo das energias eólica e solar fotovoltaica está impulsando uma mudança global de energias sujas para energias limpas.

A despesa média por megawatt para ambos os tipos de renováveis caiu cerca de 10% em relação ao ano anterior.

Fonte: noticias.uol.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário