quinta-feira, 2 de março de 2017

Ministério apoia ação para proteger biomas...

 

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) reforçou o apoio à Campanha da Fraternidade 2017, que tem por tema “biomas brasileiros e a defesa da vida”, lançada nesta quarta-feira (1º/3) pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Como representante do ministro Sarney Filho, o secretário de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental do MMA, Edson Duarte, destacou que a iniciativa fortalece a conservação e contribui para todas as áreas de atuação da pasta. O lema da Campanha é “cultivar e guardar a criação”.

Defendida pelo ministro Sarney Filho, a encíclica Laudato Si’ sobre questões socioambientais foi lembrada pelo papa Francisco. Para estimular a campanha, o pontífice citou a carta escrita há dois anos com o objetivo de enfatizar a importância da conservação ambiental e das comunidades tradicionais. Em comunicado oficial sobre a escolha do tema pela CNBB, o papa destacou a riqueza da biodiversidade brasileira e a necessidade de “promover relações fraternas com a vida e a cultura dos povos”. 

CONVERGÊNCIA
 
A iniciativa converge com as medidas determinadas por Sarney Filho para a gestão à frente do MMA. “O cuidado com os biomas permeia todos os nossos campos de atuação”, destacou Edson Duarte. Entre as principais ações, o secretário listou a recomposição florestal e o combate ao desmatamento, com medidas para aprimorar o monitoramento dos biomas. Também foram apontados o apoio aos povos tradicionais, a educação ambiental e o combate às queimadas e à desertificação. 

O secretário afirmou, ainda, que a inclusão do tema nos trabalhos propostos pela CNBB para este ano valoriza as ações de conservação dos biomas em desenvolvimento no contexto da política ambiental brasileira. “Além de um arcabouço científico muito bem estruturado, a Campanha da Fraternidade reveste suas ações de uma riqueza espiritual capaz de tocar as consciências de forma profunda”, explicou Edson Duarte.

URGÊNCIA
 
A iniciativa tem o objetivo de alertar a população para a urgência do tema. O arcebispo de Brasília e presidente da CNBB, cardeal Dom Sergio da Rocha, destacou a necessidade de ações para conservação dos recursos naturais e o papel central das comunidades nesse processo. “Precisamos valorizar, defender a vida e a cultura desses povos”, afirmou. “Necessitamos também refletir sobre a ação de cada um de nós e nossas posturas nos biomas onde estamos inseridos”, acrescentou. 

Presidente da Frente Parlamentar Ambientalista, o deputado federal Alessandro Molon reiterou a importância da Campanha para os avanços da política ambiental brasileira. O parlamentar explicou que os trabalhos no Congresso contemplarão objetivos de grande relevância para o país como o comprometimento com as populações originárias, o reforço do compromisso com a biodiversidade e a contribuição para a construção de um novo paradigma ecológico.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário