quarta-feira, 1 de março de 2017

Primeiro barco autônomo movido à energia solar é lançado no Rio de Janeiro...

 

No último dia 10, a cidade de Armação dos Búzios, na região dos Lagos do Rio, recebeu o lançamento do primeiro barco autônomo do Brasil, movido à energia solar. A partir de um sistema GPS, a embarcação recebe informações via satélite que indica o caminho de navegação, não sendo necessário um piloto para tomar o comando.

A apresentação foi realizada durante o evento Desafio Solar 2016, um rali de barcos movidos à energia solar. E apesar do novo equipamento não ter participado da competição, o sistema tecnológico foi uma atração à parte: além do sistema GPS, o barco também conta com dois cascos com placas fotovoltaicas. Esses materiais são responsáveis pela conversão de energia solar em energia de movimentação para o barco.

Segundo o criador desse barco autônomo, o engenheiro naval Lorenzo Souza, não existem registros de outro tipo de embarcação como essa em todo o País. “Ou talvez no mundo”, completou, em entrevista ao portal de notícias G1.

Durante várias edições do Desafio Solar, Souza atuou no desenvolvimento de projetos com diversas equipes participantes da competição. O G1 relata que, a partir dessa convivência e experiência que ele se interessou na criação de um barco que não precisasse de piloto e que utilizasse apenas a energia solar para alimentar o sistema de navegação.

Desafio Solar

A competição acontece em Armação dos Búzios e, em 2016, ocorreu entre os dias 5 e 11 de dezembro. O objetivo do evento é estimular o desenvolvimento de tecnologias para fontes limpas de energias alternativas. Além disso, busca divulgar todo o potencial desse tipo de tecnologia em aplicações que podem ser utilizadas no cotidiano, para transporte de passageiros e de recreio.

O Desafio Solar é inspirado numa competição holandesa chamada Frisian Solar Challenge, que acontece a cada dois anos no norte do País. Lá, os participantes percorrem aproximadamente 220 quilômetros de canais das 11 cidades da região de Frísia.

No Brasil, o evento deste ano contou com circuitos de até 12 quilômetros. De acordo com a organização, cerca de 250 estudantes, divididos em 19 equipes de quatro estados brasileiros, participam das provas. O campeonato é promovido anualmente pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

A cada edição, os produtores do Desafio Brasil esperam grupos representantes das mais diversas instituições educacionais e de centros de pesquisa não apenas do País, mas também de fora. Dessa forma, a intenção é que a competição seja uma oportunidade para compartilhar conhecimentos e experiências sobre energia solar.

E apesar do ambiente promover uma disputa, o clima amigável do evento cria oportunidades para que o desenvolvimento de sistemas de energia solar continuem em crescimento no País, se tornando uma alternativa sustentável e limpa de lidar com os recursos naturais abundantes que existem nos estados brasileiros.

O Desafio Solar Brasil é uma realização do NIDES – Núcleo Interdisciplinar para o Desenvolvimento Social / UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro, em conjunto com o Lafae – Laboratório de Fontes Alternativas de Energia da UFRJ e também da engenharia mecânica da UFRJ.

Nenhum comentário:

Postar um comentário