terça-feira, 8 de outubro de 2019

Total inicia construção de terceira usina solar no Japão...

Total Solar International anunciou nesta terça-feira (8) que iniciou a construção do parque solar Miyagi Osato, na cidade de Osato, no Japão. A usina terá capacidade instalada de 52 MW e deve começar a produção de energia em 2021. 
A empresa já opera duas plantas para produção de energia solar fotovoltaica no Japão. As usinas Miyako Solar, de 25 MW, e Nanao Power Plant, de 27 MW, entraram em operação em 2019 e 2017, respectivamente. 
A Total pretende que as energias de baixa intensidade de carbono representem entre 15% e 20% de seu portfólio em 2040. A empresa tem atualmente capacidade de geração de 7 GW, sendo 3 GW de energias renováveis.

No Brasil, a a Total Eren – parceria entre as francesas Total e Eren – fechou a aquisição de 100% das usinas solares fotovoltaicas Dracena I, Dracena II e Dracena IV, todas operadas pela Cobra do Brasil e para serem instaladas na cidade de Dracena, no interior do estado de São Paulo. Cada usina tem capacidade instalada prevista para 30 MW.
A empresa ainda tem, em conjunto com a Total, um memorando de entendimento com a Petrobras para estudar projetos em conjunto nos segmentos de energia solar e energia eólica onshore no Brasil. O acordo faz parte da estratégia das empresas de desenvolver negócios em energia renovável, visando a transição para uma matriz de baixo carbono.

E por que investir em renováveis?
A decisão de as petroleiras partirem para energias renováveis e se tornarem empresas de energia não é em vão. O Banco Mundial, por exemplo, anunciou que vai deixar de financiar a exploração e extração de petróleo e gás a partir de 2019, ao mesmo tempo que aumentará empréstimos a projetos que ajudem a reduzir o aquecimento global.
O fundo soberano da Noruega, o maior do mundo, anunciou este ano que irá vender suas ações de empresas do setor do petróleo e gás para proteger o país da volatilidade dos preços. Em 2018, os papéis estavam avaliados em US$ 37 bilhões.
E qual é a aposta da Total?
A Total em energia fotovoltaica através da SunPowere da Total Solar, desde a fabricação de células até o desenvolvimento de parques de energia solar ou através da instalação de usinas solares nos segmentos industrial/comercial e doméstico. Em 2017, a Total adquiriu uma participação indireta de 23% na Eren Renewable Energy, que recebeu o nome de Total Eren. No início deste mês, a Total finalizou a aquisição de 73,04% da empresa Direct Energy, cujas atividades de geração de energia renovável na França também irão complementar o portfólio da Total.
Fonte: EPBR

sábado, 5 de outubro de 2019

Paraná ganha sua maior usina de energia solar em indústria...



Realeza, município com 17 mil habitantes, a 500 quilômetros de Curitiba, acaba de inaugurar o maior complexo gerador de energia solar já instalado em indústrias do Estado do Paraná. Segundo Pedro Tochetto, diretor da BioWatts Energia Solar, empresa responsável pelo projeto e instalação, a estrutura implantada na empresa Baterias Real conta com 1.896 placas fotovoltaicas, que produzem mais de 850.000 kWh/ano, energia suficiente para atender ao consumo de 300 residências de médio porte. 

A usina de Realeza soma-se ao portfólio de centenas de outras grandes, pequenas e médias projetadas e instaladas pelos profissionais da BioWatts em indústrias, propriedades rurais, agroindústrias e residências, da região Sul do País. Entre elas, destacam-se o projeto de geração instalado nas dependências do Parque Tecnológico onde acontece o Show Rural em Cascavel, a usina em fase adiantada de instalação na Cooperativa Central Cotriguaçu e o próprio laboratório didático de geração de energia implantado pela BioWatts junto ao campus da Universidade Estadual do Oeste, em Cascavel.

Sustentabilidade e economia
Com 166 colaboradores que produzem em média, mil baterias automotivas por dia, comercializadas em onze estados brasileiros, a Real é forte consumidora  de energia elétrica, especialmente nas etapas de transformação do chumbo e na carga inicial. O gasto médio mensal com este insumo supera os R$ 210.000,00. 
Seu proprietário, Paulo Casaril, conta que antes de se decidir pela fonte solar, avaliou as diferentes alternativas, inclusive aquisição de energia no mercado aberto. Todas as suas contas indicaram as placas fotovoltaicas, como a opção mais racional e econômica, além da contribuição adicional à preservação dos recursos naturais. Em suas contas, a energia solar gerada pela usina equivale à preservação de 2.655 árvores e supressão de 394 mil quilos de CO2 que seriam lançados na atmosfera, anualmente.
Paulo diz que investiu R$ 3 milhões nesta primeira etapa em que está produzindo pouco mais de 50%, da energia consumida mensalmente. Satisfeito com a parceria e com os resultados, ele já programa novos investimentos, em busca da plena autossuficiência energética. 
publicidade
Maior indústria geradora de mão de obra local, a Baterias Real desenvolve amplo programa de formação e especialização do quadro funcional e dedica atenção especial à questão ambiental. "Seguimos à risca as normas ambientais e de segurança à saúde de nossos colaboradores", explica Paulo Casaril, que atua no ramo há 39 anos. 


Segundo ele, o processo de vendas casadas à devolução das baterias usadas e sua reciclagem formam um exemplo bem-sucedido de reciclagem industrial. "Conseguimos reaproveitar 97% de uma bateria utilizada, devolvendo-a ao processo produtivo e reduzindo assim, os riscos de poluição ambiental", diz.(VSCOM)

Fonte: Terra

sexta-feira, 4 de outubro de 2019

Anápolis ganha o maior estacionamento solar do Brasil...

A Usina Fotovoltaica Urbana da UniEVANGÉLICA, localizada no estacionamento da instituição, será inaugurada nesta sexta-feira (04), em solenidade que contará com a participação do governador Ronaldo Caiado (DEM).
Maior estacionamento solar do país, o projeto conta com espaço para 464 carros e produzirá energia elétrica de forma limpa e sustentável gerando uma economia anual de 2.463,80 MWh, suficientes para abastecer aproximadamente 1.350 residências.
A construção deste complexo energético na UniEVANGÉLICA é parte integrante de uma diretriz da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), que determina às concessionárias de energia do país a realização de investimentos em projetos sustentáveis nas áreas em que atuam.
A Enel, gestora, fornecedora e distribuidora de energia elétrica em Goiás, investiu cerca de R$ 6,6 milhões na usina solar, que conta com 2,9 mil placas solares instaladas em uma área de 5.630 m2.
De acordo com Adriano Faria, responsável ela eficiência energética da companhia, o sistema será monitorado remotamente pela empresa, uma vez que esteja integralmente em operação.
“Quando o consumo de energia na universidade for menor do que a capacidade gerada pela usina solar, o excedente será disponibilizado para a Enel Distribuição Goiás, gerando crédito pela energia injetada e abatimento no valor da conta do cliente”, explicou.
Fonte:Portal 6

segunda-feira, 30 de setembro de 2019

Portugal quer até 2020 triplicar a produção de energia solar...

O Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, anunciou que o Governo português tem o objetivo de triplicar a produção de energia solar até 2020, mantendo a política de continuar a aposta nas energias renováveis. Segundo Manuel, dadas as tecnologias e as condições excepcionais que Portugal tem para produzir energia solar, a aposta é rentável e há muitos investidores concorrendo para produzir energia solar em Portugal.
O objetivo será concretizado com o licenciamento de mais 1000 megawatts que serão investidos. Este investimento vai ser feito a preço de mercado e sem aumento de custo para os consumidores, disse o Ministro, depois da sessão pública da apresentação do Programa Nacional de Investimentos 2030, nas áreas de Ambiente e Energia, em Lisboa.
Caldeira Cabral também falou em seu discurso que o Governo neste momento está criando uma política coerente baseada em continuar a apostar nas energias renováveis, em específico, na energia solar, onde ocorre uma grande evolução tecnológica que permite por sua vez uma grande expansão da fonte em Portugal.
Portugal é um dos países envolvidos no maior contrato de aquisição de energia solar do mundo, num investimento superior a 400 milhões de euros. Com 212 dias sem chuva em 2016, de acordo com uma pesquisa realizada no período, Portugal tem um sol extraordinário e é o “primeiro país da Europa a ter investimento em centrais solares não subsidiadas”, segundo o secretário de Estado da Energia.
Portugal quer até 2020 triplicar a produção de energia solar
O Ministro declarou a importância do país reforçar as interligações com o resto da Europa e com Marrocos, ao nível da energia, com o objetivo de baixar os custos de energia e aumentar a eficiência do mercado energético num contexto em que as energias renováveis têm um maior peso. O Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos (PO SEUR) tem cerca de 1100 milhões de euros contemplados para investimentos em melhorias do sistema de eficiência energética, com o objetivo de aumentar a competitividade das empresas, ao mesmo tempo que reduz a conta de energia e as emissões prejudiciais.
O gabinete de Estado da Energia Português informou recentemente que Portugal vai ter 14 novas centrais solares fotovoltaicas. Portugal tem, até ao momento, 20758 megawatts de capacidade instalada de produção de eletricidade. Sendo que, 5313 megawatts correspondem a energia eólica e 291 megawatts energia fotovoltaica.
A energia solar fotovoltaica está em expansão e no futuro próximo será a forma de produção de energia elétrica mais eficiente e barata de todas! Há diversos projetos deste setor que poderão levar a capacidade instalada em Portugal a duplicar no país. Em 2017, a energia solar fotovoltaica cresceu duas vezes mais que o combustível fóssil!
Qualquer consumidor interessado em energia solar pode instalar sistemas solares fotovoltaicos em sua empresa ou residência e assim produzir a sua própria energia limpa e renovável. O Portal Solar trabalha com os melhores fornecedores de energia solar, entre em contato e solicite um orçamento. Confira nosso blog e saiba mais sobre placa solar, painel solar e os principais cursos e treinamentos de energia solar fotovoltaica no Brasil.
Fonte: Portal Solar 

domingo, 29 de setembro de 2019

Para substituir botijão de gás, pesquisadores brasileiros fabricam fogão solar...

No laboratório do curso de Engenharia Mecânica da UFRN – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, pesquisadores usaram a criatividade para criar um fogão solar! Idealizado pelo engenheiro Mário César de Oliveira Spinelli, 31 anos, o forno foi feito com MDF, uma chapa com fibras de madeira, espelhos e uma placa de metal, combinação de resina sintética com malha de ferro.
O professor Luiz Guilherme Meira de Souza, que coordena o laboratório, pesquisa energia solar há décadas e afirma que o fogão ecológico desenvolvido na UFRN pode servir como substituto para o botijão de gás. O equipamento desenvolvido na UFRN usa somente sucata, espelhos e outros materiais de baixo custo em sua estrutura. O resultado foi um sistema que transforma a radiação solar em calor, criando um efeito estufa, onde calor é usado para aquecer água, cozinhar, secar ou assar os alimentos.
Nos últimos 12 meses, o preço do botijão de gás aumentou muito, acima da inflação, compromete até 40% das rendas das famílias.  O forno solar que teve um custo total de R$ 150 reais, valor equivalente a cerca de duas recargas de botijões de gás, assou nove bolos ao mesmo tempo em uma hora e meia, apenas com a energia solar captada pelo equipamento. Um forno convencional seria vinte minutos mais rápido, mas não teria capacidade para tantas assadeiras.
Durante as fases de testes, foram assados vários alimentos, com por exemplo: pizza, bolo, lasanha e até empanados. O resultado foi satisfatório. Os pesquisadores destacaram que em países da África e da Ásia o governo tem incentivado o uso de fogões solares pela população para diminuir o consumo de lenha e os impactos prejudiciais ao meio ambiente.
No Brasil, o produto poderia ser fabricado em escala se o país investisse em pesquisas de tecnologia social. Mas os estudos que são realizados apontam certo tipo de desinteresse político, industrial e até mesmo acadêmico. Outra sobrecarga no setor, segundo os pesquisadores, é a falta de incentivo. O dinheiro para custear os projetos, garante, é tirado do próprio salário e das bolsas de pesquisa dos alunos.
Segundo o professor, Luiz Guilherme, a energia solar é uma energia social, abundante e renovável, porque está disponível para todos e não acaba. No entanto, é a que menos tem investimentos porque o modelo de sociedade que existe no país sempre busca concentrar a energia e produzir pra vender e no trabalho feito por eles, esse não é o objetivo!
Muitas invenções relacionadas a energia solar estão surgindo, como por exemplo, a lixeira aquática movida a energia solar fotovoltaica que suga até 83 mil sacos plásticos por ano e o painel de vidro fotovoltaico que pode converter energia solar em eletricidade! Acompanhe o nosso site para saber mais sobre baterias de lítio, placa solar e painel solar. O Portal Solar, maior web site de energia solar fotovoltaica do Brasil, divulga diversas novidades e informações sobre o tema e mostra como é possível usufruir deste recurso.
Fonte:Portal Solar

sábado, 28 de setembro de 2019

China investe em energia solar para se tornar referência em energias renováveis...

As energias renováveis responderam por cerca de 61% da capacidade de geração de energia líquida adicionada em todo o mundo em 2017. A China investiu US$ 127 bilhões em energias renováveis no ano passado. Mais de dois terços do total foram destinados a 53 gigawatts de energia solar, capacidade suficiente para abastecer mais de 38 milhões de residências.
De acordo com informações da Agência Internacional de Energia – AIE, de 2012 até 2016, a instalação de painéis fotovoltaicos cresceu 125% na China, sendo que no ano de 2016, o país investiu mais nessa área do que a Europa, os EUA e o Japão juntos. Segundo o diretor da BNEF na Ásia-Pacífico, Justin Wu, a China aumentou sua capacidade instalada em cerca de 20GW além do previsto, alcançando um aumento na geração de energia fotovoltaica de 53GW em 2017.
A China pretende gerar 100 gigawatts de energia solar nos próximos dois anos, quantidade suficiente para iluminar mais de 30 milhões de residências. O objetivo principal dos chineses é continuar crescendo e ao mesmo tempo diminuir as emissões de gases poluentes. Atualmente existe 13% de energias renováveis no país, até 2030, a energia produzida por essas fontes deve atingir 20% do total!
O país é o maior investidor mundial de energia renovável, a expectativa é se tornar a próxima superpotência de energia limpa. Em comparação com os demais países, a China dominou a expansão global da capacidade de geração renovável durante o ano passado, somando 157 gigawatts em novas usinas ao redor do mundo, mais que o dobro do crescimento dos combustíveis fósseis, segundo um relatório feito com apoio da Organização das Nações Unidas (ONU).
O desenvolvimento de tecnologias para a obtenção de energia renovável, com destaque para a energia solar e eólica é altamente avançado no país. A China já é o líder mundial na fabricação de células fotovoltaicas, que são utilizadas para a obtenção de energia solar. O ritmo do crescimento de energia solar fotovoltaica na China é grande por conta das usinas de energia solar que são instaladas no seu território, formando uma grande área de instalação de painéis fotovoltaicos para a geração de energia.
Outro fator que influencia o crescimento da energia solar fotovoltaica no país é os subsídios governamentais e a queda da energia fotovoltaica, que atualmente começa a ser uma opção mais barata que outras fontes de energia, tanto a preços varejistas como comerciais. Fontes do governo chinês têm afirmado que a fotovoltaica apresentará preços mais competitivos que o carvão e o gás. Recentemente a China lançou uma nova ação para os projetos de energia solar: redução das tarifas para planos com uso de energia solar iniciados em 2018.
No Portal Solar você encontra todas as informações, novidades e curiosidades sobre energia solar fotovoltaica, placa solar e baterias de lítio. Para os interessados em usufruir desta fonte de energia renovável, entre em contato conosco para encontrar o fornecedor de energia solar fotovoltaica mais próximo de você!
Fonte: Portal Solar

sexta-feira, 27 de setembro de 2019

Energia solar traz economia a sistema de irrigação...

A aposta de transformar luz solar em energia elétrica é visto como um dos caminhos mais promissores em relação a geração de energia sustentável. A energia solar é uma fonte alternativa, limpa, renovável e inesgotável, capaz de reduzir os efeitos indesejáveis dos combustíveis fósseis. A ideia de utilizar placa solar no sistema de irrigação traz como vantagens, a sustentabilidade e a redução de custos por meio da economia de água utilizada. No caso do custo da energia elétrica, a redução pode chegar até 90%, relacionados aos sistemas de automação e irrigação, pois o produtor passa a gerar sua própria energia.
O uso de energia solar fotovoltaica para automação de sistemas de irrigação de produtores, traz diversos benefícios, principalmente em locais onde não chega energia elétrica. Esses sistemas controlam o uso da energia e da água, a aplicação de produtos químicos e além disso, reduzem a necessidade de mão-de-obra. Esse controle, ao contrário do manejo manual, evita problemas como irrigação excessiva do solo que pode ocasionar uma irrigação deficiente.
A Agrishow apresentou soluções de pivôs funcionando 24 horas na fazenda sem estarem conectados à energia elétrica e novas tecnologias para controle e gestão do processo para empresas fabricantes de equipamentos de irrigação. O sistema integrado, que envolve energia gerada por placa solar quando há luz do sol e por biomassa nos períodos sem luz, está sendo desenvolvida pela Fockink, empresa gaúcha. Os primeiros equipamentos integrados devem ser instalados no segundo semestre em fazendas do Mato Grosso, e de acordo com o gerente de marketing, Oscar Strucker, geram uma economia de 50% em energia.
Energia solar traz economia a sistema de irrigação
Outro exemplo foi a da Valmont Brasil, que apresentou um sistema de irrigação movido a energia solar, alimentado através de placas instaladas na propriedade. O sistema solar fotovoltaico pode ser tranquilamente aplicado nessas áreas para suprir a demanda de energia e permitir que produtores tenham acesso a sistemas modernos de irrigação permitindo que o agricultor intensifique a qualidade de sua produção.
Muitos projetos tradicionais de irrigação possuem um alto custo de manutenção por conta do bombeamento de água que de maneira convencional utiliza energia elétrica para o total funcionamento. Com isso, os produtores rurais estão optando por adotar em suas propriedades sistemas de irrigação por energia solar para poder aproveitar a alta incidência dos raios solares e baixo custo da manutenção.
A energia solar na agricultura tem alcançado um papel importante para a redução do impacto ambiental pelo mundo. Ultimamente, os painéis fotovoltaicos tiveram uma queda de preço, o que motiva um investimento crescente na escolha deste tipo de sistema. A energia solar chama atenção pelo potencial econômico, eficaz e sustentável.
Uma fazenda brasileira de erva-mate se tornou 100% sustentável através da energia solar. Veja as perspectivas e números do mercado referente a geração de energia solar distribuída no Brasil e acompanhe o crescimento do setor! Para saber mais sobre placa solar, energia solar fotovoltaica e bateria de lítio, continue navegando no Portal Solar e não perca nenhuma novidade e informação sobre energia solar.
Fonte: Portal Solar