quarta-feira, 1 de agosto de 2018

Brasil denuncia a 2.300 acusados de desmatamento na Amazônia...

Procuradores da República no Brasil denunciam empresas e pessoas por desmatamento de 1.550 áreas na Amazônia, entre agosto de 2016 e julho de 2017

A Procuradoria-Geral da República do Brasil anunciou que vai denunciar, de maneira individual, a 2.300 pessoas e empresas que estão relacionadas com práticas de desmatamento na Amazônia, e que lhes exigirão o pagamento de indenizações e a recuperação dos danos ambientais.

A denúncia foi realizada por 23 procuradores que participam do projeto “ Amazônia Protege”, realizado em colaboração entre o Ministério Público e o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (IBAMA).  A iniciativa, iniciada em novembro de 2017, já havia denunciado no ano passado 1.001 pessoas e empresas. Na nova denúncia, os procuradores identificaram o desmatamento de 60 hectares da Amazônia, entre agosto de 2016 e julho de 2017, através de imagens de satélite de alta resolução.

Com o uso destas imagens, foi possível encontrar 1.550 áreas desmatadas e os responsáveis pelos danos. Destas áreas, 54 estão situadas dentro de reservas ambientais protegidas, 18 são reservas indígenas e 644 são terrenos de propriedade do governo brasileiro.

Como medida de reparação do dano, a justiça deve proibir que se utilize a área para que possa recuperar o estado natural virgem. Contra danos materiais e morais derivados do desmatamento, serão cobradas multas indenizatórias que poderão chegar a uns 702,7 milhões de dólares, segundo o comunicado da Procuradoria.

O projeto “Amazônia Protege” espera frear o desmatamento na região. Calculam que entre agosto de 2016 e julho de 2017, a Amazônia brasileira perdeu 6.624 quilômetros quadrados de cobertura vegetal.

Fonte: Funiber

México anuncia o descobrimento de nova espécie de tartaruga...

Moradores e cientistas mexicanos descobrem nova espécie de tartaruga em zona de atividade turística intensa. A espécie se encontra em risco de extinção

A cidade Puerto Vallarta está localizada em Jalisco, no litoral do Pacífico mexicano. O lugar é um famoso centro turístico e é considerado o terceiro porto mais importante do país. Entre tantas atividades humanas, nos riachos das zonas periféricas da cidade, habitauma espécie de tartaruga desconhecida até agora pela ciência.

Com uma mancha amarela na ponta do nariz e de pequeno tamanho – não supera 10 centímetros de cumprimento – esta espécie parece ser endêmica da região, sem nunca haver sido catalogada. O pesquisador da Universidade de Guadalajara, Fabio Germán Cupul, comenta que a espécie recém-descoberta foi batizada com o nome popular de casquito de Vallarta, e com a denominação científica de Kinosternon vogti.

O pesquisador Marco Lopez Luna, da Universidade Juarez Autônoma de Tabasco, publicou um artigo sobre a espécie descoberta mostrando que o crescimento urbano está afetando o hábitat da tartaruga, que agora está catalogada como em alto risco de extinção. Por enquanto, foram encontrados nove exemplares, sendo quatro deles vivos e cinco localizados mortos.

Há quase 20 anos que esta pequena tartaruga foi vista pelos moradores locais, mas os pesquisadores acreditavam que se tratavam de exemplares de outras espécies da região. Após buscarem registros, conseguiram finalmente identificar como espécie endêmica.

Fonte: Funiber

sábado, 28 de julho de 2018

Los Angeles reduz lixo com ajuda de aplicativo...

A cidade de Los Angeles, nos Estados Unidos, vem administrando o acúmulo de resíduos nas ruas com um aplicativo que consegue detectar pontos negros. Com o uso deste dispositivo, conseguiram retirar 80% das ruas com lixo, em um ano

O termo em inglês para o abandono de resíduos na rua ou em depósitos abertos é “littering”. A cidade de Los Angeles sofria com o littering que sujava as ruas de partes da cidade. Geralmente, estes resíduos eram uma mistura de restos de móveis, restos de construção, pneus, entre outros.

Estas lixeiras ilegais estavam espalhadas pela cidade, e nem sempre o governo local conseguia localizá-las facilmente. Mas a cidade californiana encontrou a solução utilizando o aplicativo GeoHub, que oferece algumas ferramentas que ajudaram a mapear com os endereços exatos destes depósitos de lixo.

Com a ajuda desta plataforma, é possível localizar os pontos negros em que se acumulam o lixo, classifica-los de acordo com a necessidade de limpeza. Estes dados podem ser oferecidos também pelos moradores que têm acesso ao sistema e oferecem informação mais detalhada.

O resultado de utilizar este sistema mostra-se exitoso para a cidade. Em um ano, conseguiram reduzir em 82% o número de ruas sujas. O GeoHub também vem crescendo. Como utilidade pública, já conseguiu criar 613 mapas indicando temas sobre transportes, segurança, entre outros, facilitando o trabalho das instituições públicas, de pesquisa e cidadãos.

Fonte: Funiber

segunda-feira, 23 de julho de 2018

Comércio investe em energia solar para cortar despesas...


Em Belo Horizonte, o uso da energia limpa atraiu a atenção do empresário Theodoro Peluso, dono do Restaurante Anella, na Pampulha. Ele montou uma miniusina com 230 painéis fotovoltaicos para suprir a demanda de seu estabelecimento. “Em vez de pagar a mensalidade para a concessionária de energia, economizo o dinheiro, que vai para o meu negócio”, comenta Theodoro, ressaltando também os benefícios para a natureza. A previsão do empresário é reaver o investimento em três anos.

CORTE DE GASTOS 

O presidente da Absolar, Rodrigo Sauaia, ressalta que a instalação dos sistemas solares fotovoltaicos virou uma grande alternativa de redução de despesas e de melhoria dos lucros para comerciantes e prestadores de serviços. “O setor de comércio e serviços tem a energia elétrica como o seu segundo ou terceiro maior gasto operacional. O uso da energia solar fotovoltaica ajuda a aliviar esse custo e vem trazer maior previsibilidade e maior independência energética para o planejamento financeiro das empresas.”

Ele ressalta que as empresas têm percebido que a cada ano o aumento da tarifa da energia elétrica tem ficado acima da inflação. “Esse gasto vem pesando no bolso dos pequenos empresários, em especial do comércio, assim como dos serviços. O uso da energia solar permite à empresa economizar por volta de 80% a 90%”, diz o presidente da Absolar, acrescentando que o capital investido na geração própria de energia é recuperado entre três e sete anos.

Sauaia destaca que, além do ganho financeiro, a energia oriunda do sol agrega valor aos negócios por ser uma energia limpa e não causar impactos à natureza. “O investimento contribui para a melhoria da qualidade do meio ambiente, fator que interfere na decisão dos consumidores na hora de comprar e contratar serviços. Então, a energia solar traz para os empresários o valor do posicionamento de sua marca junto ao consumidor, mostrando sua preocupação com a sustentabilidade”, diz o presidente da Absolar.

Fonte: Site Em Comércio

sábado, 21 de julho de 2018

Total avança projetos de energia solar no Brasil...

A supermajor francesa e a brasileira Petrobras na semana passada deram as mãos em projetos de energia solar e eólica no mercado brasileiro.

Uma divisão de energia renovável da supermaior francesa Total disse quarta-feira que estava avançando com novos desenvolvimentos de energia solar no Brasil.

A Total pagou em setembro cerca de US $ 275 milhões para adquirir uma participação de 23% na empresa de energia renovável Eren, nomeando a nova entidade Total Eren. A divisão de energia renovável anunciou na quarta-feira que está financiando e construindo juntos 140 megawatts de energia nominal no Brasil, energia suficiente para pelo menos 100.000 residências.

Dos três projetos, seja na fase de financiamento ou construção, um projeto apelidado de BJL 11 é o primeiro da empresa no Brasil. Com cerca de 78.000 painéis, a empresa francesa informou que poderia gerar energia suficiente para 23.000 residências.

A mudança para as renováveis ​​brasileiras segue a formação de uma parceria estratégica entre a Total e a Petróleo Brasileiro, conhecida comumente como Petrobras. Aparceria de2016 reforçou as operações emcampos de petróleono litoral brasileiro, usinas térmicas e infraestrutura associada ao gás natural liquefeito.

Na semana passada, a Petrobras assinou um memorando de entendimentopara examinaros segmentos de energia solar e eólica no mercado brasileiro com a Total Eren.

“O acordo recentemente anunciado com a Petrobras ea Total, dois grandes jogadores no setor de energia, faz-me muito entusiasmado com perspectivas de crescimento futuro em energias renováveis no país”, Fabienne Demol, o chefe global de desenvolvimento de negócios da Total Eren, disse emum declaração.

A Petrobas possui 104 MW de energia eólica e 1,1 MW de energia solar já em seu portfólio no mercado brasileiro.

O Brasil gera cerca de três quartos de sua eletricidade a partir de recursos energéticos renováveis. De acordo com o Departamento de Comércio dos EUA, éo melhormercado de energia renovável da América Latina.

Fonte: Click Petróleo

quinta-feira, 19 de julho de 2018

Brasil bate recorde em geração de energia solar...

A energia solar está cada vez mais presente no campo. A produção em propriedades agrícolas cresceu 90% no ano passado e já dobrou de tamanho em 2018. O sistema funciona integrado à rede convencional de energia. Toda a eletricidade que não é usada ainda pode ser vendida.

Fonte: SBT Jornalismo